| out , 09 , 2019

Eleição popular para conselheiro tutelar mobiliza a população e fortalece a democracia



Eleição popular para conselheiro tutelar mobiliza a população e fortalece a democracia

*Por João Mendes de Jesus

A Prefeitura Municipal do Rio de Janeiro, bem como a Secretaria de Assistência Social e Direitos Humanos (SMASDH), com o apoio imprescindível de outros órgãos e secretarias, realizaram a maior e mais importante eleição para conselheiros tutelares da história da cidade do Rio de Janeiro. As eleições populares para conselheiros tutelares mobilizaram a população como nunca ocorreu e fortaleceu a democracia. Trata-se de uma eleição histórica.

O pleito se deu com tranquilidade em eleições atípicas pelo interesse demonstrado pela sociedade organizada e a população, mas polarizadas politicamente, a respeitar, porém, o jogo democrático, praticamente sem ocorrências de violência e de fraudes, realidade esta que de forma alguma foi reconhecida por setores da imprensa corporativa, que sempre apostaram no fracasso eleitoral e nas divergências entre grupos politicamente e ideologicamente antagônicos.

Acontece que as eleições ocorreram em paz, sem casos de impugnações de urnas, assim como o certame eleitoral foi um dos mais concorridos tanto por parte dos candidatos quanto em termos de apelo popular, porque a procura da população para ir às urnas denota que o povo carioca está cada vez mais consciente de seu papel em busca de uma sociedade responsável, igualitária e democrática, no que concerne ao bem-estar social das crianças e dos adolescentes.

O governo do prefeito Marcelo Crivella, responsável por dar todas as condições para que o pleito eleitoral se realizasse de maneira ordeira, com lisura e a ofertar à sociedade boa estrutura para receber os eleitores, trabalhou duramente para que fosse viabilizada a maior participação possível da sociedade carioca, que está em busca de superar os anos de crises que enfrenta, com dedicação e resiliência, de forma que possibilite novas oportunidades para que o Rio de Janeiro volte a crescer e melhorar as condições de vida de seu povo.

Por sua vez, cuidar de crianças e adolescentes com a atenção devida e merecida é o caminho para a superação dos nossos problemas e o encaminhamento para que os cidadãos menores de idade sejam respeitados e protegidos pelo estado e seus agentes públicos, que trabalharão incessantemente para que as crianças sejam, no futuro, adultos produtivos, responsáveis e, com efeito, úteis à sociedade e a ela integrados como profissionais competentes e cidadãos conscientes de seus direitos e deveres.

Por sua vez, lamenta-se a conduta de certos grupos midiáticos, além e outros segmentos de interesses negativos, que apostaram no “quanto pior melhor” muito antes de a eleição para conselheiro tutelar acontecer, a gerar desconfianças e a fomentar discórdias e intolerâncias, porque notícias infundadas são como rastilho de pólvora, que edificam desassossegos e intolerâncias.

Evidenciou-se, contudo, que a atuação da Prefeitura, com a participação da OAB e do Ministério Público, pôs por terra todas as maquinações de uma imprensa não republicana e que, colonialista, não acredita nos brasileiros e, em especial, no povo carioca. Evidentemente que as irregularidades acontecidas em um contexto de milhares de candidaturas serão devidamente investigadas e seus autores punidos na forma da lei.

Entretanto, o que fica como experiência e conhecimento é a notável parceria de essência democrática entre os poderes constituídos e o povo carioca, principalmente os que decidiram votar em prol de uma sociedade aberta e plural, que cuida e protege suas crianças e adolescentes. Estão de parabéns todos os órgãos e instituições envolvidos com um pleito eleitoral que mostrou mais uma vez que o brasileiro e, especificamente, o carioca querem uma sociedade democrática e para todos os cidadãos.

Veja os números:

·       48 mil eleitores em 2016;

·       107 mil eleitores em 2019;

·       436 urnas em 171 postos em 2016;

·       1.143 urnas em 236 postos em 2019;

·       Mobilizou-se 5.373 servidores, em 2019, a incluir 810 guardas municipais para dar segurança, em 2019.

*João Mendes de Jesus é secretário municipal de Assistência Social e Direitos Humanos do Município do Rio de Janeiro.



%d blogueiros gostam disto: