| nov , 29 , 2019

Selo Atuação da SMASDH premia empresas e instituições que empregam o povo preto



O Secretário de Assistência Social e Direitos Humanos (SMASH), João Mendes de Jesus, realizou hoje, 29 de novembro, no Palácio da Cidade, a entrega do Selo Atuação para instituições que estão engajadas na inclusão social de negros no mercado do trabalho.

O evento aconteceu dentro do contexto do dia 20 de novembro, dia e mês que grupos da sociedade civil se reúnem para discutir sobre racismo e políticas públicas para diminuir as desigualdades sociais e respeito às diversidades.

O evento contou com a presença do prefeito Marcelo Crivella, do ex-presidente da Comlurb e atual presidente da Cdurp, Tarquínio Almeida, além de diversas instituições que atuam no combate ao racismo no mercado de trabalho. Ao todo cerca de 300 pessoas estiveram presentes.

O grupo Reinart deu início ao evento com a música “Amazing Grace”, que foi composta por Jhon Newton, marinheiro inglês que traficava escravos, que após uma experiência de impotência diante de uma tempestade no mar entendeu o significado de humanidade, que todos são iguais.

Tarquino Almeida ressaltou o empenho do prefeito Marcelo Crivella em se dedicar às causas raciais. Dos 18 presidentes que a Comlub teve desde sua instituição, ele foi o primeiro negro a ocupar o cargo mais importante da empresa.

O prefeito Marcelo Crivella falou que a história do negro no Brasil é marcada por muito trabalho, mas as riquezas oriundas dos esforços dos negros não chegaram a eles, que, pelo contrário, sempre foram deixados à margem da sociedade.

O Secretário João Mendes é autor da Lei nº 1081/2011 que reserva 20% das vagas em concursos público da Prefeitura para negros e índios. A Lei até hoje já alcançou 1 milhão de pessoas.

Receberam o Prêmio Atuação 21 instituições, entre comerciantes e ONGs que atuam na causa de empregabilidade para pessoa negra.

“As empresas e instituições que empregam pessoas negras merecem todas as homenagens, porque estão cooperando para diminuir as distâncias e a derrubar muros visíveis e invisíveis, que dificultam a inclusão social e criam conflitos e sofrimentos ao invés de construir solidariedade e paz social” – afirma João Mendes de Jesus.



%d blogueiros gostam disto: