| dez , 16 , 2019

SMASDH profissionaliza mais de 300 mulheres no Rio



A Secretaria Municipal de Direitos Humanos (SMASDH) realizou hoje a certificação profissional de 372 certificados de conclusão dos cursos livres ofertados nas Casas da Mulher Carioca.

Os cursos têm como objetivo estimular o empoderamento feminino, o empreendedorismo e a independência financeira a mulheres, mulheres trans, vítimas de violência doméstica ou situação de vulnerabilidade social.

A Casa da Mulher Carioca é um espaço de promoção de políticas públicas para as mulheres e mulheres trans, com o objetivo de desenvolver um ambiente de empoderamento, capacitação, interação e exercício da cidadania das cariocas, respeitando suas diferenças étnico-raciais, religiosas, geracionais, de classe, origem e orientação sexual

Atualmente, existem duas unidades: Casa da Mulher Carioca Dinah Coutinho, em Realengo, e Tia Doca, em Madureira, com oferta de atendimentos individuais e coletivos para mulheres que passaram ou não por qualquer tipo de violência, contando com assistentes sociais, psicólogas, pedagogas e advogadas.

Os Cursos Livres, voltados para capacitação profissional e geração de renda, são ministrados por professores especializados, bem como propiciam às mulheres o acesso ao conhecimento e demais habilidades, nas áreas administrativa, de informática, trabalhos manuais e beleza, contribuindo para a melhoria da autoestima e estimulando o empreendedorismo feminino, além de propiciar autonomia financeira.

Os cursos ofertados são trança nagô, corte de cabelo, manicure especializada, maquiagem avançada, auxiliar administrativo, artesanato, design de sobrancelhas e reparos no lar.

Em 2019, as Casas já realizaram mais de 45 mil atendimentos às mulheres na cidade do Rio de Janeiro e já certificaram mais de 1.500 mulheres, nos três ciclos de cursos ofertados ao longo do ano.

Para Cláudia Ferreira, 24 anos, que se formou em trancista e implantista na Casa da Mulher em Realengo, esse momento está sendo muito importante e de grande alegria. “Estou muito feliz em estar hoje aqui, no Palácio. Nunca imaginei que poderia estar aqui um dia recebendo o certificado de conclusão do meu curso. Esse curso se tornou importante na minha vida, porque eu tenho um filho especial e não tenho tempo de trabalhar de carteira assinada por 8 horas. Com esse curso posso fazer meu horário gerar renda pra minha família e cuidar do meu filho, que tanto precisa de mim” – afirma Cláudia.

A iniciativa da Subsecretaria de Política para a Mulher tem se apresentado como uma das mais importantes ferramentas para ressignificação de vidas, transformação social, pessoal e como potencializador na criação de novas perspectivas de futuro entre as mulheres que frequentam as Casas da Mulher Carioca.

“Parabéns a todas as mulheres que estão concluindo mais uma etapa das suas vidas e tendo a oportunidade de ressignificar suas vidas” – enfatiz João Mendes de Jesus, secretário da SMASDH.

 



%d blogueiros gostam disto: