| maio , 07 , 2020

João Mendes diz que críticas de Paes a hospitais e Crivella são evasivas e sem fundamento



O vereador João Mendes de Jesus (Republicanos) afirmou hoje que as críticas do ex-prefeito Eduardo Paes ao prefeito Marcelo Crivella são evasivas, sem fundamento e sentido, porque, segundo o parlamentar, as afirmações de Paes não condizem com as realidades, além de ele não estar na linha de frente no combate à Covid-19, bem como é público e notório que o ex-prefeito é candidato à Prefeitura do Rio de Janeiro.

Para João Mendes, Paes quer aparecer e demonstra desconhecimento das ações do prefeito Crivella, que tem se pautado de forma rígida e responsável quanto ao combate ao novo coronavírus, doença esta que tem causado milhares de mortes no Brasil e atingido a polução do Rio de Janeiro, assim como as cidades do Estado fluminense.

“Quando o Paes passa a criticar sem fundamento e desconhecimento de causa, é necessário que as pessoas percebam o oportunismo político em um momento de gravidade, no que é relativo à saúde. Os ataques de Paes tem apenas motivação eleitoral, enquanto Crivella trabalha duro e sem descanso, a fim de dar condições estrurais para que os profissionais de saúde possam trabalhar para salvar vidas e atender os pacientes com determinação e competência. Se o Paes não quiser ajudar pelo menos não atrapalhe” – afirma João Mendes de Jesus.

Paes é desinformado – O ex-prefeito do Rio, Eduardo Paes, disse, por intermédio de vídeo, e a ler uma matéria, que em três bairros da zona oeste do Rio, um de cada cinco casos de Coronavírus acaba em morte. E ainda afirmou, sem participar diretamente do processo de combate à Covid-19, e completamente desinformado, que os leitos dos hospitais como Albert, Rocha Faria e Pedro II não estão a funcionar, o que é uma inverdade, de acordo com o vereador.

João Mendes explicou que a Prefeitura do Rio investiu na saúde da zona oeste, a começar pelo Hospital Rocha Faria, que foi completamente abandonado pela gestão anterior. O parlamentar republicano informou ainda que hoje a unidade hospitalar atende a cerca de 13 mil pessoas, sendo que seu atendimento por mês é aprovado por mais de 80 % da população, depois de a administração ser tirada de uma OS e transferida para a RioSaúde, empresa pública da Prefeitura.

“Além disso, o Albert é outro exemplo de bom atendimento. São mais de 12 mil pessoas atendidas por mês, sendo a unidade referência na região. Já o Hospital Pedro II atende não só os moradores do Rio como também às pessoa de municípios vizinhos. Então, o sistema de saúde está a funcionar, apesar das dificuldades, e por causa dessa realidade as palavras do Paes não procedem” – assevera João Mendes.

Planejamento – Quanto aos leitos, a secretária de Saúde, Beatriz Busch, apresentou o planejamento de abertura de 1.277 leitos para pacientes com covid-19, sendo que 649 estão a funcionar e 168 são de CTI. João Mendes também informou que a secretária explicou que uma das principais razões da decisão de tornar o Hospital Ronaldo Gazolla e o Hospital de Campanha do Riocentro em unidades exclusivas para o combate ao novo coronavírus tem por propósito evitar contaminação cruzada de outros pacientes e otimizar os recursos terapêuticos, além de melhorar a qualificação da assistência por parte dos profissionais de saúde.

Leitos livres – João Mendes continuou a rebater as palavras infundadas de Eduardo Paes, e disse: “Não existem ‘leitos livres’ na rede municipal de saúde. Trata-se de fake news. A Secretaria de Saúde esclareceu que tais leitos estão como ‘livres’ em unidades especializadas, a exemplo de maternidades, psiquiátricas e pediátricas. Os leitos não podem ser usados para o combate à Covid-19, porque há necessidade de atendimento aos pacientes com outros diagnósticos e enfermidades, que precisam ser atendidos pela saúde pública”.

Crivella – O vereador João Mendes disse que o prefeito Marcelo Crivella está à frente do processo de combate à Covid-19, sendo que sua parte é dar condições de trabalho aos profissionais de saúde e tratar a população com todo o respeito que merece. Para isso, não mediu esforços e fretou voos para buscar 160 toneladas de equipamentos, além de 18 mil itens. O material passa obrigatoriamente por outros países e poderiam ser confiscados, já que todo mundo necessita dos equipamentos e insumos, preocupação que fez o prefeito solicitar a interseção do Itamaraty.

Equívocos – Por sua vez, João Mendes afirma que Crivella já explicou ao público que é necessário ter leitos ocupados com retaguarda de UTI, bem como o prefeito informou que algumas pessoas, sem conhecimento da área de saúde, e que estiveram em hospitais da Prefeitura a mostrar leitos desocupados, se equivocaram e apresentaram uma realidade que não existe, pois nesse mesmo dia a UTI estava cheia de pacientes a serem tratados, sendo que as pessoas que se equivocaram não foram à UTI.

China – “A expectativa das equipes médicas da Prefeitura é de que, com esse material chegando da China e, imediatamente sendo instalado, a curva de internações e falecimentos seja reduzida. Agora, vamos atender as autoridades públicas e de saúde, porque é necessário manter o distanciamento social, usar máscaras, lavar as mãos, usar álcool e, evidentemente, se prevenir, porque vamos superar esse momento grave de ordem mundial. Só não pode haver politicagem e opiniões sem conhecimento” – conclui o vereador João Mendes de Jesus.



%d blogueiros gostam disto: