| jun , 10 , 2020

João Mendes apoia Crivella na retomada da Linha Amarela pelo poder público



O vereador João Mendes de Jesus (Republicanos) disse hoje que a retomada da Linha Amarela por parte da Prefeitura Municipal do Rio de Janeiro põe ordem na casa e protege o interesse público, ao devolver tão importante via da cidade ao contribuinte carioca.

Para o vereador, a suspensão da concessão da Linha Amarela à concessionária Lansa resgata o poder de governar da administração pública municipal, já que notória, no passado, em casos de corrupção e malversação do dinheiro público, de maneira que se encerre, definitivamente, os privilégios concedidos a meia dúzia de pessoas em prejuízo de milhões de cidadãos cariocas.

“Desde que o prefeito Marcelo Crivella assumiu a Prefeitura, ele tem questionado duramente os concessionários da Linha Amarela. Além dos preços exorbitantes ao cobrar pedágios, tal empresa e seus donos são acusados e denunciados por cometerem malfeitos. O prefeito quer pôr ordem na casa e, com efeito, recuperar a via para seus usuários, que não aguentam mais serem praticamente achacados pelos altos preços dos pedágios. É o fim da picada” – enfatiza João Mendes.

O parlamentar republicano disse ainda que a Procuradoria Geral do Rio de Janeiro (PGM) suspeita que a Lansa pagou propinas a agentes públicos e a políticos, a fim de ser favorecida por mais 15 anos de contrato para controlar a Linha Amarela.

“A verdade é que todas as medidas da PGM visam estabelecer a lei e os princípios que norteiam o poder público, a começar pela transparência. A Prefeitura quer e luta para voltar a ser a administradora da Linha Amarela e assim estabelecer a ordem” – assevera João Mendes.

João Mendes afirmou ainda que denúncias na imprensa e reportagens fundamentadas fazem com que o poder público realize ações, que tem a finalidade de estancar a sangria financeira, que se tornou a Linha Amarela para a população da cidade. Além do mais, conforme o vereador, os técnicos da Prefeitura apuraram a existência de corrupção e superfaturamento, o que denota desperdício de dinheiro público para que concessionários se beneficiem por meio de caríssimos pedágios.

“Na auditoria, os técnicos observaram a existência de inúmeros malfeitos, que serão comprovados. A Prefeitura, por meio da PGM, está vigilante e a denunciar para recuperar o que é de direto do povo carioca, ou seja, do poder público. A Linha Amarela é de interesse da população” – conclui João Mendes de Jesus.



%d blogueiros gostam disto: