| jun , 19 , 2020

Seminário ratifica que sepultamento social em tempos de pandemia é direito de cidadania



A 3° Edição do Seminário Virtual “Sepultamento Social em Tempos de Pandemia”, promovido hoje, à tarde, pela Subsecretaria de Proteção à Diversidade Religiosa da Prefeitura do Rio de Janeiro contou com a participação de cerca de 300 pessoas, bem como de autoridades que discorreram sobre o tema.

De acordo com o subsecretário de Proteção à Diversidade Religiosa, Alessandro Costa, a pandemia da Covid-19 se alastrou pelo mundo, especificamente no Brasil, a atingir milhares de pessoas em situação de vulnerabilidade, que não possuem renda e emprego e, com efeito, não tem dinheiro para pagar as despesas relativas aos sepultamentos.

“Realizamos o seminário com o propósito de debatermos a viabilização de as pessoas sem recursos terem acesso à informação e saibam que tem direito a recorrer ao poder público para terem amparo em uma hora tão difícil, que é a perda de entes queridos” – explica o subsecretário.

No decorrer do evento, a defensora pública, Gislaine Kepe, reafirmou sobre o direito aos serviços cemiteriais e funerários gratuitos, assim como terem um luto em paz, além de colocar à disposição da população o Núcleo da Defensoria de Direitos Humanos (Nudedh), que recebe informações, denúncias, sugestões e reclamações da população sobre violação de direitos.

Participou também do evento virtual, a coordenadora de Proteção à Diversidade Religiosa, Fabiana Netto, que tratou também do assunto e afirmou que as pessoas aprenderam o passo a passo para poder ter acesso a um direito pouco conhecido, que foi instituído recentemente pelo prefeito Marcelo Crivella.

 



%d blogueiros gostam disto: