| jun , 23 , 2020

João Mendes responde ataques de Brizola Neto ao bispo Macedo e à Universal



Em sessão virtual da Câmara Municipal, o parlamentar do Republicanos defendeu a Igreja e seu líder
perante seus colegas vereadores e a sociedade carioca.

Senhor Presidente,
Senhoras Vereadoras,
Senhores Vereadores,

Inicio este discurso com a finalidade de responder aos ataques do vereador Brizola Neto ao bispo Edir Macedo e à Igreja Universal, acontecidos na semana passada, em sessão virtual da Câmara Municipal.

Esta resposta é livre, por sua vez, de raiva e mágoas tão rotineiras no que é relativo à condição humana.

Considero que são palavras proferidas de forma inconsequente e injustas, porque são desrespeitosas e não condizem com a verdade e a realidade dos fatos e muito menos dos propósitos de um parlamentar que, ao invés de debater questões concernentes ao momento grave em que vivemos juntos à sociedade carioca, perde-se tempo e energia com ataques pessoais inócuos a um líder religioso respeitado e admirado por milhões de cidadãos, bem como a Igreja Universal, que leva a palavra de Deus às pessoas também não merecia ser desconsiderada e agredida dessa forma tão injustificável.

Assevero que, no que diz respeito à Igreja Universal do Reino de Deus e ao bispo Edir Macedo, nada é mais injusto e imerecido, pois a Universal e seus pastores liderados pelo bispo Macedo estão presentes em hospitais, favelas, abrigos de pessoas portadoras de problemas com álcool e drogas, além amparar os moradores em situação de rua e os encarcerados, a fim de cuidar e fazer com que essas pessoas se recuperem e saiam de uma situação degradante e humilhante, cujo propósito é resgatar suas cidadanias.

As agressões do meu colega parlamentar denotam, sem dúvida, desconhecimento e ignorância, em uma linguagem indecorosa, que tem por finalidade distorcer a realidade e fazer com que as pessoas passem a
duvidar da moral e das intenções do trabalho incessante e solidário do bispo Macedo e da Igreja Universal, que há 43 anos se dedicam à resgatar, recuperar e amparar milhares de pessoas, que, invariavelmente, se deparam com as dores da vida, que parecem que não tem soluções, mas com fé, trabalho e visão em uma nova conduta e escolha em suas vidas se recuperam e conseguem enxergar o caminho da luz.

É inaceitável, portanto, tal agressividade a quem, no dia a dia, trabalha em prol da sociedade e dos cidadãos, que, por motivos vários, encontra-se em situação de vulnerabilidade social e que recebem o apoio dos pastores da Universal em todos os sentidos, em segmentos sociais diversos, em uma cooperação que visa fazer de quem caiu passe a se levantar.

Reitero ao vereador Brizola que suas palavras são desmedidas e ultrapassam os limites do respeito e da verdade sobre a Igreja Universal e o bispo Edir Macedo.

Por fim, quero ler dois versículos bíblicos, de forma a deixar claro e transparente sobre atos e ações que levam às pessoas terem uma conduta censurável e, por meio de experiências que modifiquem suas consciências, passem a enxergar o próximo com um olhar de respeito, consideração e tolerância.

“Por isso, alguns dos fariseus diziam: Esse homem não é de Deus, porque não guarda o sábado. Diziam outros: Como pode um homem pecador fazer tamanhos sinais? E houve dissensão entre eles”. João 9:16

“Saulo, respirando ainda ameaças e morte contra os discípulos do Senhor, dirigiu-se ao sumo sacerdote e lhe pediu cartas para as sinagogas de Damasco, a fim de que, caso achasse alguns que eram do Caminho, assim homens como mulheres, os levasse presos para Jerusalém. Seguindo ele estrada fora, ao aproximar-se de Damasco, subitamente uma luz do céu brilhou ao seu redor, e, caindo por terra, ouviu uma voz que lhe dizia: Saulo, Saulo, por que me persegues? Ele perguntou: Quem és tu, Senhor? E a resposta foi: Eu sou Jesus, a quem tu persegues”. Atos 9:1-5

Era o que eu tinha para dizer no momento.

Muito obrigado, senhor presidente.



%d blogueiros gostam disto: